Buscar

Como funciona a polinização e como ela pode contribuir com o setor agrícola


“As abelhas são essenciais para nossa sobrevivência e das espécies nativas”, Nicole Cristina. Imagem: Freepik

O processo de polinização pode aumentar a produtividade de culturas de grande importância agrícola no Brasil, como soja e café. Além do aumento da produtividade, a prática da polinização também possibilita a redução do uso de outros recursos e pode alavancar o valor agregado do produto, como afirma a diretora-executiva da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA), Vanusia Nogueira, em uma matéria do site Abelha. “Esse aumento de produtividade fica totalmente em linha com tudo o que o agro brasileiro tem defendido e buscado mostrar para o mundo: que nós temos uma agricultura extremamente sustentável e que podemos aumentar a produtividade, o nível de alimentos que entregamos para o mundo sem necessariamente aumentar as áreas que precisamos para fazer isso”.

Para a presidente da Associação Brasileira de Exportadores de Mel (Abemel), Andressa Berretta, as abelhas podem ser um importante bioinsumo para o agronegócio brasileiro. “As abelhas podem ser essenciais como políticas públicas para ajudar a criar a consciência de como podemos evitar a geração de carbono para o ambiente, o consumo de água só usando as abelhas como insumo para aumentar a produção”.

Segundo o Relatório Temático sobre Polinização, Polinizadores e Produção de Alimento no Brasil, a polinização contribuiu com um valor econômico estimado de R$ 43 bilhões em 2018. A estimativa se refere aos valores que seriam gastos pelos agricultores caso os polinizadores não contribuíssem para a produção de alimentos. A soja responde por 60% do valor estimado, seguida pelo café (12%), laranja (5%) e maçã (4%). Enviamos algumas perguntas para a professora, bióloga e mestranda e em Ensino de Ciências pela Universidade Federal de Uberlândia, Nicole Cristina, para entender um pouco mais sobre como funciona o processo de polinização.

Trigona em flor de abóbora. Imagem: Nicole Cristina

Vitamazônia: Como funciona, na prática, a polinização com abelhas na produção agrícola?


Nicole Cristina - As abelhas são responsáveis por carregar os grãos de pólen de uma flor masculina para uma flor feminina. Esse transporte acontece de forma natural. As abelhas procuram por algum atrativo floral, néctar, pólen, essência, odor entre outros, e “sem querer” ela encosta o pólen, gameta masculino, na parte feminina da flor. Esse transporte aumenta a produção de frutos e gera frutos mais bonitos e pesados. Sem a polinização não haveria produção de frutos pela maioria das plantas.


Vitamazônia: Há quanto tempo existe a prática da polinização na produção agrícola?


Nicole Cristina - Abelhas e plantas evoluíram juntos, a maioria das plantas dependem de animais, principalmente das abelhas, para realizar o transporte de pólen. As flores foram estratégias das plantas para atrair polinizadores para aumentar a sua dispersão de pólen e ter uma maior variabilidade genética.


Vitamazônia: De que forma as abelhas podem ser um importante bioinsumo para o agronegócio brasileiro?


Nicole Cristina - Em outros países é comum o aluguel e compra de colônias de determinadas espécies de abelhas para o aumento da produção de frutos. No Brasil ainda não temos concretos esses estudos sobre manejo de abelhas nativas, mas há alguns trabalhos realizados pelo Laboratório de Ecologia e Comportamento de Abelhas da Universidade Federal de Uberlândia que relatam o aumento da produção de frutos com abelhas em suas pesquisas. As culturas de maracujá, tomate e berinjela se beneficiam da polinização formando frutos maiores, bonitos e pesados, beneficiando os agricultores. No caso do maracujá, por exemplo, sem a ação da abelha do gênero Xylocopa, comumente chamada de mamangava, não teríamos o maracujá. A flor é dependente da abelha para geração de fruto.


Vitamazônia: O que é preciso fazer para aumentar a produção agrícola por meio dos polinizadores?


Nicole Cristina - O grande problema atualmente é o uso indiscriminado de pesticidas que causam a morte das colônias de abelhas. As abelhas como os maiores polinizadores vêm sofrendo com o uso de agrotóxicos e com o desmatamento e queimadas. O recomendado seria um controle maior do uso de pesticidas e manter próximos às plantações remanescentes de florestas para que as abelhas tenham condições de construir seus ninhos. Assim, a plantação funcionaria como um local de alimentação onde elas buscariam recursos e as florestas seriam a moradia.

Temos que entender que as abelhas são essenciais para nossa sobrevivência e das espécies nativas. Assim, criamos condições que ajudam as abelhas e, consequentemente, teremos alimentos de melhor qualidade. Precisamos entender que sem abelhas não teríamos alimento!

4 visualizações0 comentário